Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/01/2012

CASE STUDY: A situação portuguesa é diferente da irlandesa, mas nem sempre para melhor (6)

[Continuação de (1), (2), (3), (4) e (5)]

Evolução nos últimos 12 meses dos yields das obrigações a 3 anos do tesouro português e do irlandês (FONTE: Bloomberg)

Continuam a sair furados todos os prognósticos da esquerdalhada anunciando a falência do modelo económico irlandês: estado magro e muito menos interventor, investimento público modesto sem elefantes brancos, impostos baixos, prioridade às exportações.

Os mercados são ocasionalmente irracionais mas não são estúpidos. E foi por isso que a Alemanha pôde emitir na 2.ª Feira, com uma procura 1,8 vezes maior, quase 4 mil milhões a 6 meses com um yield negativo, com os investidores a pagarem €100,00616 por títulos que serão reembolsados por €100.

Sem comentários: