Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/12/2011

DIÁRIO DE BORDO: Especulações politicamente incorrectas a propósito de DSK (5)

[Continuação de (1), (2), (3) e (4) ]

A acreditar na Pluma Caprichosa Clara Ferreira Alves e na sua detalhada investigação sobre a investigação do investigador Edward Jay Epstein, publicada na Única do Expresso, DSK terá sido vítima dos seus instintos, da sua falta de discernimento e da falta de escrúpulos da empregada do Sofitel, como já tínhamos concluído, e duma armadilha montada por gente trabalhando por conta de Sarkozy - esta é nova e os factos revelados parecem confirmá-la.

Se esta estória tivesse que ter uma moral, e se Clausewitz ainda estivesse por aí andasse, seria: o sexo é a continuação da política por outros meios.

De passagem, reconheça-se que a Pluma Caprichosa, depois de ter escrito sobre este caso com base numa espécie da presunção de culpa que pesa sobre os ricos, mesmo os de esquerda como DSK, teve tomates coragem para se desdizer e concluir que «DSK foi tramado». Antes de concluir ser a Pluma uma rapariga preocupadíssima com a justiça, doa a quem doer, convém pesar o facto de o alívio da culpa de DSK no tribunal da Pluma pode ter ficado a dever-se à suposta trama urdida por uma personagem de direita.

Sem comentários: