Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/12/2011

NÓS VISTOS POR ELES: Submarino ao fundo

O caso dos submarinos ajuda a perceber a falta de vontade da Alemanha para embarcar nos eurobonds e aceitar a impressora do BCE a trabalhar para os PIGS.

Na Alemanha, administradores da Ferrostaal estão a ser julgados por pagamento de luvas na venda de submarinos à Grécia e a Portugal. Por cá os nossos magistrados continuam calmamente a instruir o processo. No final haverá corruptores julgados e condenados na Alemanha por pagarem luvas a portugueses mas não se encontrarão em Portugal quem as recebeu.

Imaginemos a situação inversa. Uma empresa de confecções portuguesa pagaria luvas aos directores de um clube de futebol alemão para lhes comprarem camisolas para o marchandising do clube. Descoberta a marosca, os tribunais alemães julgariam e condenariam os seus corruptos. E em Portugal, o que aconteceria? Seriam realizados seminários pelo IAPMEI para divulgar o marquetingue inovador da empresa de confecções e o presidente da República elevaria a comendador o patrão no 10 de Junho seguinte.

Sem comentários: