Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/12/2011

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (49) – «Estou marimbando-me», disse ele

«Estou marimbando-me para os bancos alemães que nos emprestaram dinheiro nas condições em que nos emprestaram. Estou marimbando-me que nos chamem irresponsáveis. Nós temos uma bomba atómica que podemos usar na cara dos alemães e dos franceses. Ou os senhores se põem finos ou nós não pagamos a dívida», berra excitado um tal Pedro Nuno Santos, vice-presidente do grupo parlamentar do PS.


Para quem tivesse dúvidas sobre se os alemães teriam razão para nos chamarem irresponsáveis, ficam duas dúvidas e uma certeza. As dúvidas são: concordará a maioria dos portugueses com o trauliteiro? e os alemães chamaram-nos de facto isso? A certeza é: se não chamaram passaram a ter razão para chamar quando um deputado pateta profere tais aleivosias e ainda não foi desmentido pelo seus «chefes».

A não ser que o pateta estivesse a marimbar-se pelo facto de os bancos alemães andarem distraídos comprando dívida portuguesa a preços que actualmente lhes geram menos-valias de 30 por cento ou mais.

Sem comentários: