Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/12/2011

NÓS VISTOS POR ELES: Democracia defeituosa

Acabei de fazer download do «Democracy index 2011» da Economist Intelligence Unit e constatar que não é só o défice orçamental a sufocar-nos. Baixámos uma posição de 26.º para 27.º ficando atrás de uma das nossas ex-colónias - Cabo Verde. Apesar de estarmos em 2.º nas democracias defeituosas («flawed democracies»), continuamos à frente da França, a pátria de pouca Liberté, muita vontade de Egalité e nenhuma Fraternité, da Itália e da Grécia.

O índice da EIU está dividido em várias categorias: I processo eleitoral e pluralismo, II funcionamento da governação, III participação política, IV cultura política e V liberdades civis. Atingimos o topo na categoria I, mas devido ao défice de accountability, à corrupção, à falta de confiança no governo, etc., o nosso score na categoria II é bastante pior. O mesmo no que respeita à categoria III, devido à abstenção elevada, número reduzido de mulheres na política, interesse pela política, etc. Em ambas as categorias, o nosso score aproxima-nos mais dos regimes híbridos, a meio caminho entre as democracias defeituosas e os regimes autoritários.

Sem comentários: