Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/10/2011

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (46) – ainda que tivessem razão, não têm moral

Não há um dia em que a gente do PS não confirme, uma vez mais e como se fosse necessário, a mais acabada desvergonha.

Ele é o vice-presidente do grupo parlamentar a apresentar propostas «para indexar as remunerações dos membros de entidades reguladoras, altos cargos públicos e gestores públicos ao salário do Presidente da República, nunca podendo exceder o vencimento do primeiro-ministro», como se estivessem estado em Marte e não em S. Bento em 13 dos últimos 16 anos.

Ele é Silva Pereira, o braço direito de José Sócrates durante 6 anos, em coro com um ex-secretário de Estado «a fazerem de conta que não conhecem a verdadeira situação das contas públicas»

Ele é Paulo Campos, ex-secretário de Estado das Obras Públicas, a fazer de conta que as suas tretas são um relatório da KPMG.

Sem comentários: