Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/10/2011

DIÁRIO DE BORDO: Não há pachorra para tanta lamentação

O coro das lamentações da «brutalidade» do orçamento é maioritariamente composto pelo coro dos amanhãs que cantaram durante 6 anos, os mesmos amanhãs que tornaram indispensável a «brutalidade» de hoje, ampliado com o coro a bocca chiusa dos que geriram ou venderam os seus silêncios durante os mesmos 6 anos.

O doutor Jorge Sampaio um dia disse haver vida além do orçamento. O coro com as suas lamentações desmente um dos seus mentores.

Não há pachorra.

Sem comentários: