Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

31/10/2011

DIÁRIO DE BORDO: Morra primeiro e pague depois

O Conselho Europeu decidiu que os bancos deveriam perdoar metade da dívida grega, deixando de lado o BCE, o FEEF e FMI, e ficando a Grécia fica com cerca de três quartos da dívida intacta, fatia que tem virtualidades de estar acima do que a Grécia conseguirá pagar e obrigará provavelmente a novo haircut.

No nosso caso, se (um se relativamente pequeno) viermos a beneficiar da mesma filantropia, será preferível tentar adiar o pagamento para as calendas gregas, ou seja lá por volta de 3.000, altura em que segundo as projecções das Nações Unidas não haverá ninguém para pagar porque estaremos todos extintos.


Sem comentários: