Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/10/2010

SERVIÇO PÚBLICO: A restauração da sopa do Sidónio

Sidónio Pais foi um militar maçónico que estranhamente não chegou a coronel, ficou-se pelo cargo de major, desempenhou vários cargos públicos, incluindo o de primeiro-ministro, promoveu a alteração da constituição, passando o regime parlamentar a presidencial e fez-se eleger em 1917 presidente da República. Tomou algumas medidas de carácter social sendo a mais conhecida a «sopa dos pobres» ou «sopa do Sidónio». Depois de várias medidas repressivas, como a conhecida «leva da morte», acabou da mesma forma de vários milhares de outros «republicanos»: morto a tiro no final de 1918. [ver mais aqui]

Reagindo ao corte de 5% na tença de 3.700 euros por mês e 60 euros por dia de ajudas de custo, o deputado socialista Ricardo Gonçalves soltou um grito de alma dilacerada - «quase não temos dinheiro para comer» - e implorou a abertura da cantina do parlamento à noite para o jantar.

Comovido pela desdita do deputado, aproprio-me da ideia que me foi sugerida por FRM e proponho aproveitar a comemoração dos 100 anos da República e «restabelecer a Sopa do Sidónio para resolver o problema do desgraçado».

Sem comentários: