Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/10/2010

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (27) – As empresas públicas são apenas uma extensão do aparelho socialista e vice-versa (II)

A oferta de tenças em empresas públicas pela clique socrática, está a tornar-se um hábito. Desta vez, o beneficiário frustrado foi Narciso Miranda – não exactamente um exemplo de integridade – que confessou à Sábado terem-lhe oferecido, para ficar sossegado, o «cargo de presidente da Metro do Porto, presidente dos transportes públicos do Porto, presidente das Águas do Rio Douro e Paiva, presidente do ex-Instituto Nacional de Habitação e para uma eventual holding para gerir as infra-estruturas marítimo-portuárias».

Continua a não haver notícia de indignação por parte dos novos situacionistas, que assobiam para o lado.

Sem comentários: