Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/10/2010

Sempre é melhor do que ganhar à Islândia

A eleição de Portugal para o Conselho de Segurança não significa muito, dados os arranjos a que está sujeita. Em caso de dúvida, vejam-se quem são os actuais membros eleitos entre os quais se encontra Uganda, Gabão, Líbano, Bósnia e Herzegovina e Nigéria. Em todo o caso, significa que no final de contas ¾ dos membros da ONU votaram em Portugal.

Sem comentários: