Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/10/2010

Lost in translation (68) - Os bancos nossos clientes estão muito satisfeitos, queria ele dizer

«Financiar o Estado está mais caro mas há clientes» titula o Negócios Online para sintetizar a mensagem do presidente do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público no colóquio no parlamento, sem especificar que o grosso desses clientes são os bancos portugueses que compram OT com qualquer maturidade até aos 10 anos com yields que chegam aos 6% e oferecem essas OT como colateral dos empréstimos de curto prazo do BCE a taxas de 1% - um horrendo asset mismatch que deveria pôr os cabelos da administração do BdP em pé.

Sem comentários: