Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/10/2010

A caminho dos amanhãs que choram os pastorinhos abandonam o barco (4)

[Continuação de (1), (2) e (3)]

Depois de 4 anos a cantar loas ao socratismo, desde a súbita aparição de Nossa Senhora da Economia Socialista, por alturas da derrota do PS nas eleições europeias, os pastorinhos da economia dos amanhãs que cantam continuam a surpreender-me.
Por uma talvez significativa coincidência, dois desses mais eméritos pastorinhos Daniel Amaral e Nicolau Santos escreveram a propósito da proposta de OE artigos com títulos pungentes: «O massacre» no Diário Económico e «Um sangrento massacre fiscal» no Expresso, respectivamente. Ambos parecem falar de cataclismos naturais que não resultaram de 5 anos de políticas erradas. Só os burros não mudam, eu sei, mas serão precisos 4-anos-4 para perceber?

Sem comentários: