Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/10/2010

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (26) – As locomotivas rosa usam gasóleo verde

«A Takargo [do grupo Mota-Engil cujo CEO é Jorge Coelho, o controleiro do aparelho socialista durante mais duma década] está a abastecer os seus comboios com gasóleo verde 20 cêntimos mais barato do que o rodoviário. Uma isenção desenhada para a CP, mas que acabou por beneficiar a Takargo e que leva a que todos os meses o Estado perca 200 mil euros de receitas fiscais. A Associação Nacional de Transportadores Rodoviários (ANTR), que já denunciou a situação ao Governo, diz que é um escândalo e uma situação de concorrência desleal.Todos os meses os comboios da Takargo abastecem, em Vilar Formoso, um milhão de litros de gasóleo verde. Os funcionários dispõem de um cartão, emitido pelo Ministério da Agricultura, com que realizam os abastecimentos. Uma isenção prevista na lei mas que foi concebida para a CP, que detinha a concessão para todo o serviço ferroviário nacional.» [DN]

Sem comentários: