Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/10/2010

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (25) – As empresas públicas são apenas uma extensão do aparelho socialista e vice-versa

O deputado do PS Victor Baptista acusa André Figueiredo, chefe de gabinete de José Sócrates, de lhe ter oferecido em Abril «um lugar de gestor público no Metro, na CP ou na REFER, com um vencimento de 15 mil euros mensais» para desistir de se candidatar à presidência da federação de Coimbra do PS. Victor Baptista esperou seis meses até ter perdido as eleições por 5 votos para manifestar a sua indignação.

Apesar do intenso cheiro a putrefacção, as glândulas olfactivas dos novos situacionistas aguentam estoicamente.

Sem comentários: