Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/07/2016

SERVIÇO PÚBLICO: O comportamento «crescentemente errático» de Juncker (continuação)

No post anterior da semana passada onde comentei o diagnóstico do/a autópsia ao (cortar conforme o gosto) presidente da CE, escrevi: não é de todo impossível que Juncker venha a ser a primeira baixa do turbilhão bruxelense gerado pelo Brexit.

Segundo o mentidero bruxelense, parece que se confirma o prognóstico. Numa peça com um título que é um sumário («Angela Merkel 'to oust Jean-Claude Juncker' as Europe splits deepen over Brexit response») o Telegraph escreve:

«The pressure on him [Juncker] to resign will only become greater and Chancellor Merkel will eventually have to deal with this next year,” an unnamed German minister told The Sunday Times, adding that Berlin had been furious with Mr Juncker “gloating” over the UK referendum result.

Mr Juncker’s constant and unabashed calls for “more Europe”, has led to several of Europe other dissenting members – including Poland, Hungary and the Czech Republic – to lay some of the blame for Brexit at his door.»

Termino como no post anterior: não deixará saudades.

Sem comentários: