Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/07/2016

Chávez & Chávez, Sucessores (46) - Os portugueses da Venezuela apagados pela esquerdalhada por amor ao chavismo

Outras obras do chávismo.

«Em 2016, os média portugueses ainda não têm a coragem ou a honestidade intelectual para criticar de forma sistemática os "paraísos socialistas", mesmo quando centenas de milhares de portugueses e de luso-descendentes sofrem no interior desses "paraísos". Cerca de 1,2 milhões de portugueses e luso-descendentes estão a viver situações desesperadas na Venezuela chavista, que, como todos os paraísos socialistas, caiu num inferno hobbesiano. O silêncio é infame: mais de um milhão de portugueses está a viver um inferno, mas em Lisboa ninguém quer saber, nem os políticos, nem os jornalistas, nem os profissionais da indignação. No máximo, a Venezuela é uma nota de rodapé na agenda da corte lisboeta. Fala-se mais do Podemos, filho bastardo de Chávez, do que dos portugueses que já foram assassinados pelo caos criado por Chávez e Maduro. A cegueira ideológica conduz muitas vezes à simples e prosaica traição. É o caso. Os bem pensantes amam tanto a Humanidade, a Revolução e a Esquerda que acabam por trair pessoas concretas, compatriotas reais que não se chamam Progresso, mas sim António, Joaquim, Carlos.»

«Os portugueses da Venezuela: ecos dos retornados», Henrique Raposo no Expresso Diário

1 comentário:

hf disse...

Esta semana vi uma reportagem na RTP sobre a falta de comida na Venezuela. Diz a RTP que falta comida por causa da crise económica. De onde veio essa crise? A RTP não dá o pistas. Infelizmente para os jornalistas não dá para fazer textos a dizer "o governo de direita".