Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/09/2015

QUEM SÓ TEM UM MARTELO VÊ TODOS OS PROBLEMAS COMO PREGOS: O alívio quantitativo aliviará? (33) – Aliviar, alivia, de momento alivia o crescimento no Japão (IV)

Outras marteladas. Continuação de (I), (II) e (III)

Depois de quase três anos de quantitative easing (QE). uma das medicinas das Abenomics, as políticas económicas de Shinzo Abe, o primeiro-ministro japonês, os resultados da terapêutica continuam na mesma linha: no 2.º trimestre a economia japonesa permanece em recessão e contraiu mais de 1,2% (Bloomberg).

Terá a recessão sido consequência do QE? Não creio. Os resultados do QE só serão visíveis provavelmente a médio prazo: bolhas nos mercados de capitais e no mercado imobiliário, mau investimento, riscos excessivos, etc. Por agora o que se vê não são os resultados do QE. O que se vê é a sua inutilidade do QE para resolver problemas estruturais e demográficos.

Sem comentários: