Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/09/2015

ACREDITE SE QUISER: Os comunistas nunca comeram criancinhas ao pequeno-almoço

«A Grécia e o modo como ali evoluiu a situação política, transformou-se numa bênção para o Governo português. A propósito ou a despropósito havia um fantasma a ser convocado: Grécia, Grécia, Grécia, Grécia. As vezes que forem necessárias até não haver dúvidas: a Grécia terá hoje, para a direita portuguesa, o mesmo valor simbólico contido na propalada imagem dos comunistas a comerem criancinhas ao pequeno almoço de outros tempos.»

Valdemar Cruz, no Expresso Curto, a propósito das larachas entre Catarina Martins e Paulo Portas ontem à noite

Clique para ampliar
Tem o articulista toda a razão, os comunistas nunca comeram criancinhas ao pequeno-almoço, ao contrário do que diziam fascistas portugueses.

Os fascistas portugueses em 50 anos, segundo as fontes e as doutrinas, assassinaram entre algumas dezenas e umas poucas centenas de oposicionistas e, portanto, não têm know-how nem credibilidade nesta matéria.

Quem apresenta trabalho feito e por isso merece crédito são os comunistas russos, chineses, coreanos, latino-americanos, africanos e outros que fizeram, tudo por junto, umas dezenas de milhões de mortos (só Pol Pot e os seus Khmers liquidaram uns 2 milhões).

3 comentários:

Anónimo disse...

Meu caro.

Para mim um Nazi é uma figura de esquerda,

Chamo-lhe socialistas totalitários.

Esta justificação apenas gosto de a usar quando esquerditóide diz que o nazismo matou muitas pessoas.

Aí começo por lhe dizer que quer Mussolini quer o Hitler ou começaram por ser comunistas ou tinham aspirações a tal.

Mas lembro-lhe estes números.

Daqui a pouco acrescentamos os nºs de mortos na Venezuela.

Porque a Direita liberal e mesmo a conservadora não tem nada a ver com fascismos.

Anónimo disse...

Lembremos os milhões que Stalin condenou à fome na Ucrânia.
Os comunas apagaram o Holomodor mas nós temos que o mostrar de novo ao mundo.

Anónimo disse...

Por isso. Os comunistas não comeram crianças. Mas tiraram a comida de muitas crianças na Ucrânia.