Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/09/2015

Mitos (212) – O surto de emigração dos «cérebros» começou em 2011 com a crise

Este é um dos mitos de estimação da esquerdalha. Enquanto o PS foi governo, o povo em geral e os «cérebros» em particular, irrigados por abundantes fundos públicos, viviam contentes e felizes. Até que.

Até que chegou a troika, chamada sadisticamente pelo governo de Passos Coelho, e legiões de jovens foram incentivados a «sair da zona de conforto» para longe das suas mãezinhas. Uma vez mais, a mitologia da esquerdalhada convive pessimamente com a realidade: a emigração maciça dos «cérebros» «aumentou ao longo da última década, registando uma taxa de crescimento de 87,5% entre 2001 e 2011», como escreve Graça Canto Moniz, que dispensa os políticos «calimero» que nos últimos anos têm lamentado as consequências das suas políticas dos 10 anos anteriores.

1 comentário:

Anónimo disse...

Quem tem cérebro vê logo que este país só é bom para passar férias.