Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/09/2015

Exemplos do costume (34) - O PS faz o papel de uma nova União Nacional

Durante a longa noite fascista, bispos abençoavam o professor doutor Salazar e padres nas suas homílias incensavam o salazarismo. Uns e outros que o faziam eram situacionistas, como então se chamava aos adeptos do Estado Novo.

Hoje, o Estado Novo é o Estado Sucial e o situacionismo é corporizado pelos socialismos de todos os partidos e em especial pelo socialismo do Partido Socialista que sendo a agremiação com mais hipóteses de governar é aquela que mais atrai os novos situacionistas.

É por isso compreensível que o antigo bispo das Forças Armadas, Januário Torgal Ferreira, tenha assistido sossegado, sem um sobressalto de alma e sem uma dúvida, a anos de governação socialista que nos levaram à bancarrota, durante os quais a clique no poder assaltou empresas, bancos e mídia. É igualmente compreensível que o bispo tenha feito o seu agitprop no pico do surto de indignação e agora faça a sua declaração de voto. Ei-la:
«Costa não é Deus, pode ter as suas debilidades, mas já o vi governar na Administração Interna e, como cidadão, vi-o em Lisboa. (...) Vai votar em Costa? Claro. Não tenho dúvidas de que tem toda a razão nas críticas. (...) E digo mais: do ponto de vista jurídico, muita água há-de correr debaixo da ponte no processo José Sócrates.»

2 comentários:

Lufra disse...

Este bispo não passa de um palerma! Costa governou Lisboa, mas parece-me que nunca Lisboa foi tão mal governada, e por muitas razões mas vou só por só um exemplo: actualmente a conta da água para um consumo de 9€ tem taxas e taxinhas que a elevam a 44€, imaginem quando ele governar, se alguma vez governar, assim o País.

Anónimo disse...

Lufra tirou-me muitas palavras do teclado.
"Je dirait même plus": il est bête (não é besta, ok?)