Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/11/2014

Dúvidas (66) - O que é bom para a câmara de Lisboa será bom para o PS? E o que é bom para o PS será bom para o país?

Ainda que a política do PS para a dívida pública seja um work in progress que começou pela reestruturação e agora não se saiba exactamente o que seja, uma coisa parece certa, António Costa tem uma notável experiência de 6 anos a lidar com a dívida da câmara municipal de Lisboa a qual reduziu de uma assentada em 286 milhões com o acordo com o governo que aceitou pagar esse valor pela «compra» há mais de 70 anos dos terrenos do aeroporto, 20 anos antes de Costa ter nascido, e pela «compra» dos terrenos da Expo, uns 20 anos antes de Costa ter aterrado na câmara.

Talvez baseado nessa experiência, quando confrontado com 10 milhões de dívidas do PS que António José Seguro lhe deixou em herança é bem provável que Costa aplique uma solução do mesmo tipo. Tal como reduziu a dívida da câmara à custa do Estado português pode tentar fazer o mesmo com a dívida do PS tal como o seu antecessor deixou sugerido. E porque não quando em S. Bento tentar reduzir a dívida à custa dos outros Estados da EU?

1 comentário:

Antonio Cristovao disse...

Basta seguir o guião que o Jardim tem aplicado aos cubanos, sejam ou não da tribo.