Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/04/2017

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (149) - Quem se mete com o PS, leva

«A Entidade das Contas e dos Financiamentos Políticos (ECFP) detetou irregularidades nas contas do PS de 2014, ano em que se realizaram as Primárias (...) O PS previa que as eleições custassem 328 mil euros, mas os custos totais passaram os 1,65 milhões de euros: cinco vezes mais do que o orçamentado. O PS contestou as falhas apontadas no relatório em meados de março e espera agora ser ilibado, enviando vários recados ao excesso de zelo da Entidade das Contas.» (Observador)

Luís Patrão, o patrão das finanças socialistas, insinuou que a Entidade das Contas é uma espécie de nova troika. Não é verdade. As contas das Primárias dispararam precisamente por que a Entidade das Contas não é uma espécie de nova troika. Imaginem o que Centeno, o patrão socialista das finanças, faria se a velha troika não o mantivesse sob ameaça de lhe fechar a torneira.

Sem comentários: