Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/04/2017

ESTÓRIA E MORAL: «Há quem goste de adormecer embalado por belos contos sobre défices»

Estória 

«Em 2016, o Estado português incorreu num défice de €3807 milhões. No mesmo ano, a dívida bruta do mesmo Estado agravou-se em €9590 milhões. O défice resulta de uma série de convenções (o que conta e o que não conta para o efeito). A dívida é o que é: dos €9590 milhões em que se agravou, em 2016, €3807 milhões contaram para o défice e €5783 milhões não contaram.

Um dos fatores que torna a Humanidade de uma beleza incomparáv.el é a extrema diversidade dos seres humanos: sexo, cor, raça, religião, ideologia, cultura, idiossincrasias e o mais que queiramos considerar. Há quem goste de adormecer embalado por belos contos sobre défices; e há quem não consiga adormecer só de pensar em dívidas

Daniel Bessa, ministro da Economia de Guterres, durante 5 (cinco) meses, excerto do artigo «Défice e dívida» no caderno de economia do Expresso

Moral

A bom entendedor, meia palavra basta.

2 comentários:

Dr. No disse...

Quer dizer que anda por aí muita gente a papar sono.

Oscar Maximo disse...

Afinal Sampaio tinha razão. Os portugueses é que não entenderam a frase.