Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/12/2015

Crónica da anunciada avaria irreparável da geringonça (7)

Outras avarias da geringonça.

Acumulam-se as contradições. Por um lado Centeno, apertado em Bruxelas garante que «constitui um compromisso deste Governo prosseguir uma trajectória de redução do défice orçamental da divida pública no ciclo desta legislatura», por outro, o controleiro do PCP garante que a CGTP quer influenciar a mudança de políticas e que o novo Governo tem de levar a cabo «as promessas que fez». Qualquer criatura com dois dedos de testa percebe que são garantias perfeitamente incompatíveis.

Uma das promessas que os comunistas estão a cobrar é abolir as portagens na A23, alegando «não haver alternativas viáveis» (com este argumento podem acabar com todas as portagens).

Para o caso de a secção socialista da geringonça não ter percebido a mensagem que promessas são para cumprir, o braço sindical do Partido Comunista já marcou greves na CP, CP Carga, Metro de Lisboa e STCP, para não nos esquecermos das vantagens das empresas públicas de transportes.

Entretanto, a secção socialista desiste de governar e compromete-se a discutir todas as semanas com as outras secções da esquerdalhada, antes de debater no parlamento as propostas de lei que antes aprovara em conselho de ministros. Cada discussão arrisca-se a ser uma odisseia se não se entendem nem para marcar uma data ou mesmo se uma data foi ou não marcada.

2 comentários:

Anónimo disse...

Fora a quantidade de acordos que vai ser preciso assinar à socapa...

neves

Anónimo disse...

Bem:
► comidos,
► bebidos,
► agasalhados,
► guardada a massa algures.

Pouco mais é preciso, salvo, como escreveu o outro, «o 25 de Novembro é quando um homem quiser».

Em Latim Testis, significa Testemunha, Terceira pessoa presente, Apoiante legal.
Na lei de Roma nenhum homem era admitido como testemunha a não ser que os seus testículos fossem apresentados como evidência da sua virilidade. Só aos homens confirmados como tal, era permitido contribuir para uma evidência, ou testemunho, em assuntos legais. Jurar pelos seus testículos era uma antiga forma de afirmação, de confirmação.