Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/12/2015

Chávez & Chávez, Sucessores (38) – Porque foi derrotado nas urnas o chávismo?

Não apareceu o pajarito. Apareceram os passarões da secção comunista da geringonça a explicar:

Porque as «eleições se realizaram no contexto de uma conjuntura económica particularmente desfavorável em resultado da baixa do preço do petróleo e no quadro de grandes operações de desestabilização e boicote económico dos sectores mais reaccionários venezuelanos articuladas com a ingerência do imperialismo contra a Revolução Bolivariana.»

Precisamos estar atentos à «tentativa do imperialismo utilizar os desfavoráveis resultados eleitorais na Venezuela para intensificar o seu combate aos processos de soberania e progresso social que tem subtraído o continente latino-americano ao seu domínio e apela à solidariedade com os povos e as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas e de toda a América Latina».

Nota do gabinete de imprensa do PCP

2 comentários:

Lufra disse...

Porque os comunistas portugueses não emigram todos para lá para dar uma ajuda as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas?

Dudu disse...

"... com a confiança de que as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas encontrarão as soluções que defendam o processo revolucionário bolivariano e as suas históricas conquistas..."

Espero que as soluções encontradas para defender o processo revolucionário não incluam a guerra civil.