Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

27/09/2013

Pro memoria (133) – «Serviço público é dar às pessoas o que elas querem»

«Um encontro de quadros e responsáveis da empresa descobriu há uma semana, ao que veio a público, com base num estudo de consultores, que a RTP tem que “deixar de ser um canal cinzento, sem brilho, sem cor e sem novidades” e, melhor ainda, que “serviço público é dar às pessoas o que elas querem” – o que coloca a SIC e TVI, com os seus reality shows e overdoses de telenovela, como os melhores canais de serviço público. Com a RTP no seu encalço…»
José António Lima no jornal SOL

A conclusão do encontro de quadros e responsáveis da RTP é muito reveladora do que vai na alma daquelas criaturas. Ameaçadas de extinção pela falta de grana, deixam cair a máscara e apresentam-se dispostas a fazer qualquer coisa para continuar a propagar a sua fé através do jornalismo de causas mantendo as suas tenças ou, talvez mais precisamente, a fazer o necessário para manter as suas tenças continuando o seu papel de «serventes do governo» ou da oposição, consoante as épocas.

Sem comentários: