Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/09/2013

ACREDITE SE QUISER: Estará a democracia em perigo?

Li este «Navio Fantasma» do «camarada» Pacheco Pereira e fiquei preocupadíssimo com a «deriva cada vez menos democrática» do primeiro-ministro. Principalmente porque não me lembro do autor manifestar tão viva preocupação com as derivas do ex-primeiro ministro José Sócrates que o levaram, entre muitas outras coisas, a tentar controlar a TVI. Escrevo «tão» porque de facto o autor manifestou na época algumas preocupações.

Só me tranquilizei ao saber que a Comissão Nacional de Eleições não autoriza a RTP a entrevistar o primeiro-ministro no programa "O País Pergunta", porque «um programa de entrevistas com responsáveis políticos, com o formato anunciado pela RTP, apenas pode ter lugar fora dos períodos eleitorais». Talvez a «deriva cada vez menos democrática» de Passos Coelho ainda não esteja a colocar a democracia em perigo.

Contudo, só ficarei completamente tranquilo quando a CNE instruir a RTP para suspender durante os períodos eleitorais o tempo de antena no prime time do ex-primeiro-ministro, por ele aproveitado exclusivamente para combater a «deriva» do actual primeiro-ministro. E, já agora, quando a mesma CNE instruir a sugerir à SIC para suspender durante os períodos eleitorais a participação no programa «Quadratura do Círculo» do líder in waiting do PS, travestido de comentador.

3 comentários:

Unknown disse...

Totalmente de acordo!

E que dizer destes socialistas e restante esquerda… se o governo quer privatizar ou concessionar, a RTP “aqui-del-rei!” que vão entregar ao privado algo que é dos portugueses (“algo”, já agora, traduz-se em 300 milhões ano dos seus impostos…)
Se a RTP se mantém na esfera pública, “oh indignação!”, que o governo usa a RTP com fins eleitoralistas. Que país de “virgens ofendidas”… com a comunicação social a fazer coro, claro.

http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/08/a-reforma-do-estado-invisivel.html


jsp disse...

Exactamente.
No tempo do bicharel-sanitário tais preocupações, tanto quanto me recorde, não foram manifestamente expressas...

Anónimo disse...

Passos Coelho é Moby Dick e Pacheco Pereira é o capitão Ahab.

tina