Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/09/2013

¿Por qué no te callas? (15) – O serviço do Tozé à dívida pública

Segundo o Expresso, «o secretário-geral do PS, António José Seguro, afirmou (na terça-feira) que vai defender na reunião com a troika, na quarta-feira, que a meta do défice em 2014 fique pelo menos nos 5% e que haja uma solução europeia para a mutualização das dívidas dos Estados-membros».

Tradução: somem-se 5% do PIB à dívida que já passa dos 120% e ponham-se os países solventes a garantir a dívida dos insolventes.

Resposta dos investidores ao apelo do Tozé: ontem, quarta-feira de manhã, foram realizados dois leilões de BT com maturidades de 3 (500 milhões) e 18 meses (750 milhões de euros). A maturidade a 18 meses teve o yield médio de 2,293%, o mais elevado desde Novembro de 2012. No último leilão em Junho, o yield foi 1,603%. Na maturidade de 3 meses, o yield médio foi de 1,081%, contra 0,766% no leilão equivalente em Agosto.

Sem comentários: