Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/01/2013

DIÁRIO DE BORDO: Entradas de leão e saídas de sendeiro

Como aqui prognostiquei, António Costa ficou surdo ao canto de sereia dos órfãos de Sócrates mesmo depois de «meio copo de uísque» e empurrou a candidatura à liderança do PS com a barriga para a frente. Aposto singelo contra dobrado que vai continuar com o discurso ambíguo, a colocar pedras em todos os tabuleiros e com um olho no burro e outro no cigano, como diz o povo, esperando que Seguro fique inseguro, o governo se desgaste um pouco mais e a situação melhore o suficiente para a criatura prometer «estimular o consumo».

Foi um prognóstico fácil, dadas as características do actor e as exigências do papel na peça que está em palco. Difícil de prognosticar seria António José Seguro recandidatar-se contra «o regresso ao passado», rejeitando 13 anos de governação socialista.

3 comentários:

Unknown disse...

Sepre pertinente, o Impertinente... Parabéns pela clarividência.

Entretanto, alguém consegue descodificar este título?
“Costa aplica travão à investida contra Seguro pela “unidade no PS”
http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/01/titulos-indecifraveis.html

Anónimo disse...

Acho que Seguro está a ser vítima de um "complot": a facção Sócrates quer as diretas antes das autárquicas, porque o PS vai ganhar as autárquicas e como tal será impossível o Seguro perder as diretas. Assim, estão a tentar desestabilizá-lo e que cometa a asneira de convocar já as diretas. Lá no Rato é só víboras.

tina

Vivendi disse...

víboras travestidas de avental... vulgo maçons.