Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/01/2004

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Tony’s guts (Part 2).

Secção Res ipsa loquitor
Os factos falam por si mesmo: uma comissão independente liderada por um juiz independente, Lord Hutton, que durante a investigação não poupou o governo e em particular Tony Blair, concluiu, segundo as palavras da própria BBC, que «the suggestion in BBC reports that the government "sexed up" its dossier on Iraq's weapons with unreliable intelligence was "unfounded"».
O resultado normal num país normal é, e foi, o pedido de demissão do presidente da BBC Gavyn Davies, não sem se lamentar «that you cannot choose your own referee, and that the referee's decision is final», no que me fez lembrar os nossos treinadores e presidentes dos clubes quando levam uma abada do adversário.
Dois afonsos para Tony Blair (atingindo o máximo diário de 5) e 2 ignóbeis para Gavyn Davies (levaria 5 se não tivesse pedido a demissão).

Sem comentários: