Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/11/2015

SERVIÇO PÚBLICO: Mário Centeno e o aumento do salário mínimo

«O Governo proporá em sede de concertação social uma trajetória de aumento do salário mínimo que permita atingir os 600€ em 2019: €530 em 2016; €557 em 2017; €580 em 2018; e €600 em 2019. Esta evolução permitirá ganhos reais do salário mínimo em todos os anos da legislatura, e um aumento real acumulado superior a 10% (tendo em conta a inflação estimada para os próximos anos.)» (Lista de medidas acordadas entre PS, BE e PCP)

«Globalmente os resultados apontam para um efeito negativo de aumentos do salário mínimo do emprego de trabalhadores com baixos salários, que tem como contrapartida pequenos ganhos salariais.» Esta foi a conclusão de Mário Centeno no estudo publicado no Boletim Económico do Outono de 2011 do BdeP de que é co-autor «O IMPACTO DO SALÁRIO MÍNIMO SOBRE OS TRABALHADORES COM SALÁRIOS MAIS BAIXOS». (Via Insurgente)

1 comentário:

Anónimo disse...

Não vos escrevi que pode ser um génio mas do tipo génio parvo?