Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/11/2015

Mitos (214) – Take Another Plane ou Take Another Plan? (VI)


«Os trabalhadores da TAP reuniram-se hoje em plenário durante cerca de duas horas e meia tendo o encontro, segundo a Comissão de Trabalhadores, chegado a reunir 300 pessoas.

Este plenário contou com a presença de deputados do Partido Comunista Português (PCP), Bloco de Esquerda e Verdes, que defendem a reversão da privatização da companhia, assim como da Associação Peço a Palavra e da central sindical CGTP.

Os trabalhadores da TAP reuniram-se hoje em plenário durante cerca de duas horas e meia tendo o encontro, segundo a Comissão de Trabalhadores, chegado a reunir 300 pessoas.

Este plenário contou com a presença de deputados do Partido Comunista Português (PCP), Bloco de Esquerda e Verdes, que defendem a reversão da privatização da companhia, assim como da Associação Peço a Palavra e da central sindical CGTP.» (Observador)

Resumo para pessoas normais: uma parte «tendo chegado» a 3% dos cerca de 10 mil empregados da TAP aprovou uma proposta de renacionalização inspirada por um pelotão de apparatchiks do agitprop.

1 comentário:

Lufra disse...

300 de 11000 e um quantos comunas!
É o fim de uma das maiores fontes de financiamento do PC!