Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/11/2015

ACREDITE SE QUISER: Mme Le Pen, presidente do Soviete Supremo

Se a ditadura do proletariado fosse instituída em França o partido do proletariado seria a Frente Nacional e Marine Le Pen presidente do Soviete Supremo.

No caso de dúvida, consultar «Les intentions de vote pour l’élection présidentielle de 2017» do IFOP, acabadinho de publicar, onde se pode verificar que Mme Le Pen tem 48% de intenções de voto nos ouvriers, seguida a longa distância por François Hollande (PS com 16%), Jean-Luc Mélenchon (Parti de gauche, dissidência do PS, com 13%), Nicolas Sarkozy (UMP com 12%) e François Bayrou, (MoDem, sucessor da UDF de Giscard d’Estaing, com 9%).

Os restantes quatro candidatos dividem entre si 2% das intenções de voto. Nicolas Dupont-Aignan (ex-UMP, Debout la France) com 2% leva tudo e os restantes três cujas intenções não têm significado estatístico incluem Cécile Duflot (Groupe écologiste), a Apolónia gaulesa sem o colo do PCP, e a versão berloquista representada por Nathalie Arthaud, (Lutte ouvrière, trotskista) e Philippe Poutou (Nouveau Parti Anticapitaliste, trotskista).

1 comentário:

Unknown disse...

Oh Diabo!
Eu vejo-a mais à luz da "Douce France" do Trenet.
Consequências do cinco anos de Francês do Liceu do meu tempo. Paris era ,para nós, verdadeiramente, a capital do mundo.O Hemingway tinha-se enganado - mas depois rectificou...