Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/11/2015

CAMINHO PARA A INSOLVÊNCIA: De como o melhor que pode acontecer ao paraíso prometido aos gregos pelo Syriza é ser um purgatório (XLII) – Bebendo a própria cicuta

Outros purgatórios a caminho dos infernos.

Fonte: ekathimerini
Lembram-se das greves e tumultos que incendiaram Atenas promovidos pelo Syriza antes de ser governo para combater a «austeridade de direita»? Não, a imagem acima não é desse tempo. É de hoje, dia em que as greves e tumultos visam a «austeridade de esquerda», que não por acaso é consideravelmente mais pesada do que a «austeridade de direita». Dia em que, segundo título feliz do Público, «Tsipras enfrenta primeira greve geral, que o próprio Syriza apoia».

Entretanto, depois do PIB ter crescido o ano passado e ainda no 1.º semestre deste ano, a CE estima que a recessão continuará este ano e no próximo a economia contrairá 1,3%.  A dívida pública aumentou de 177.1% em 2014 para 195% este ano e chegará aos 200% no próximo. Continua pendente de acordo uma tranche de 2 mil milhões que só será libertada quando o governo Syriza adoptar as medidas que aceitou tomar.

Tendes aqui uma possível antevisão do que seria (será?) um governo socialista com políticas berloquistas.

Sem comentários: