Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/11/2015

ARTIGO DEFUNTO: O descongelamento

Títulos do Diário de Notícias e Observador, respectivamente

2 comentários:

Anónimo disse...

Há séculos, era eu um homenzinho, apareceram uns pândegos para esmifrar a massa dos outros que a tinham em demasia.
Arranjaram uns centros com tumbas ultra-frias para congelar o ricaço logo após o passamento. Quando se descobrisse a cura da doença (fatal, no caso) descongelavam o pobre rico. Isto não era baratinho.

Pouco depois apareceram as arcas frigoríficas em "todo o ocidente". Entretanto, as farmacêuticas fizeram o impossível para atrasar as descobertas de remédios.
Eu não sei o que fizeram aos pobres-ricos. Cuidado nas compras de ultracongelados!

Abraço

Anónimo disse...

O cão-de-água do r.jorge, ainda não s'alembrou desta...