Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/08/2014

Dúvidas (47) – Será Costa um novo protagonista? E, sendo-o, o país anseia por ele?

Em entrevista de duas páginas ao Expresso, o jornal de que é director o seu irmão Ricardo Costa (que fez a fita de colocar o lugar à disposição quando o mano avançou para candidato a candidato a primeiro-ministro), António Costa iluminou o país com o seu pensamento sobre o que o país pensa. «O país anseia por novos protagonistas, com provas dadas, que rompam este ciclo de vistas curtas», disse.

Para quem começou a sua vida política aos 21 anos como militante e aos 26 anos era já dirigente do partido Socialista, ocupando desde então cargos na direcção da Associação Académica, deputado à AM de Lisboa, deputado à AR, vereador da CM Loures, secretário de Estado e ministro de várias pastas em vários governos, líder do grupo parlamentar, deputado e vice-presidente do Parlamento Europeu e presidente da CM Lisboa, devemos concluir que é um novo protagonista? E, sendo-o, o país anseia por ele?

Sem comentários: