Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/08/2014

ACREDITE SE QUISER: O maior insulto ao Tribunal Constitucional, até hoje

«Só no dia em que houver substancialmente uma concordância entre esses partidos [Governo e PS], ou seja, no fundo, o PS dar uma concordância ao Governo, ou o PS estar no Governo, ou estão os dois, ou o PS está no Governo e o PSD dá concordância, nesse caso eu acho que o TC de repente deixa de ter estas exigências metafísicas da reforma estrutural. Dito de outra maneira, António Costa é primeiro-ministro, com Rui Rio como vice-primeiro-ministro, e apresenta uma contribuição de sustentabilidade, não digo semelhante a esta, é mais fácil passar [no TC]

Foi o que disse o professor Marcelo Rebelo de Sousa no seu púlpito na TVI. Objectivamente é uma acusação gravíssima de parcialidade e partidarismo ao TC. Surpreendentemente, não suscitou indignações por parte dos sujeitos do costume talvez por ter sido dita por quem foi – isto não é um insulto ao venerável professor Marcelo é apenas uma espécie de homenagem à elasticidade dos seus rins.

Sem comentários: