Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/04/2013

Bons exemplos (57) - Um regulador que não jogou golfe com os regulados

«I didn’t know the bank CEOs. I didn’t play golf with them. I just thought I’d call it as I saw it», disse ao Financial Times em Janeiro Matthew Elderfield, um inglês nomeado em 2010 pelo governo irlandês como regulador bancário. Fez um excelente trabalho para combater o compadrio na banca irlandesa e vai agora ser nomeado responsável de «compliance» do Lloyds Banking Group, liderado por António Horta-Osório. (Fonte: Financial Times)

Nós por cá teríamos ficado felizes mesmo se Constâncio, o ministro anexo, tivesse jogado golfe com os Espíritos e Ulrich ou mesmo tivesse ido à missa com Jardim Gonçalves, desde que ao menos tivesse mantido algumas distâncias do governo e do PS a quem serviu. Distâncias que, reconheça-se, não teria sido fácil manter para quem foi o seu secretário-geral de 1986 a 1989.

1 comentário:

Vivendi disse...

Traidor da pátria. Derreteu boa parte do nosso ouro. A outra parte cabe a Cavaco.