Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/04/2013

Dúvidas (14) – Um Papa mais papista do que o papa?

Instintivamente, desconfiei do Papa Francisco. Tive e tenho dúvidas que seja um bom papa para a Igreja e tenho dúvidas de que seja um bom papa para o mundo. É o estilo e a substância. Cheira-me a teologia da libertação, embora, ao que parece, o padre Bergoglio a tenha combatido. Sou agnóstico e não tenho nenhum conhecimento especial nem da igreja católica nem de religião em geral, e por isso fiquei-me pela desconfiança, reforçada por opiniões mais avalizadas como a de Pedro Arroja (por exemplo, aqui e aqui, e muitos outros posts recentes sobre o tema).

Escusado será dizer que só aumentou a minha desconfiança o ódio de estimação que a esquerdalhada dedicou a Bento XVI ter sido substituído pelo amor de estimação pelo actual papa. Por exemplo, a simpatia desse outro papa emérito da esquerdalhada lusitana, dominado pelo esquerdismo senil, que escreveu acerca do Papa Francisco:
«É pois um Papa antineoliberal, valorizando as pessoas, em favor do Estado social, sem dar valor ao dinheiro, às riquezas, à ostentação, mas sim aos pobres, independentemente das religiões que praticam e mesmo dos que são ateus, porque, segundo ele, são todos filhos de Deus.»

Sem comentários: