Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/04/2013

Mitos (108) – Os causadores da nossa desgraça foram eles

A propósito da mitologia sobre as causas da nossa desgraça, este post torna evidente que as finanças públicas estavam persistentemente descarriladas muito antes da crise financeira, como se vê no quadro abaixo extraído de O Insurgente. Nos 14 anos entre 1999 e 2012 o Estado português fez o pleno. Recorde-se também que, muito provavelmente, a maioria dos défices anteriores à intervenção da troika foi aldrabada com contabilidade criativa.


Défices antes e depois da adesão à Zona Euro a amarelo e a vermelho, respectivamente; o défice de 2012 ficou em 6,6%.
Por isso, é perfeita mitologia toda a lengalenga acerca dos sucessivos culpados da nossa desgraça: o capitalismo de casino, as agências de rating, a Alemanha, e até, por ironia, há quem acrescente à lista a troika que nos empresta dinheiro e nos evitou a falência. Por falar em agências de rating, momentaneamente obscurecidas pelos outros suspeitos do costume, ver a série de posts «as teorias da conspiração sobre as agências de rating».

Sem comentários: