Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/03/2013

SERVIÇO PÚBLICO: Não estamos mal, mas já estivemos melhor

Foi publicado há dias pelo United Nations Development Programme o «2013 Human Development Report» com os índices de desenvolvimento humano calculados para 185 países. No índice são ponderados vários indicadores: esperança de vida à nascença, número médio de anos de escolaridade, PIB per capital, RNB per capita.

Depois de ter melhorado o índice de desenvolvimento humano ano após ano, sobretudo nas décadas de 80 e 90, Portugal desceu 3 lugares no ranking em 2012 e em relação a 2007 desceu um lugar e ocupa agora globalmente a 43.ª posição.

Em contrapartida, no índice de desigualdade de sexos Portugal situa-se no primeiro decil, ocupando a 16.ª posição, no primeiro terço do pelotão da frente onde se encontra a maioria dos países europeus. Em termos relativos, as nossas mulheres não deveriam ter muitas razões de queixa, o que é não é surpreeendente já que somos um dos países mais femininos em todo o mundo, segundo os estudos de Geert Hofstede.

Sem comentários: