Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/03/2013

Por que será que não estou surpreendido?

Pela nova missão atribuída por unanimidade à Dr.ª Cândida Almeida como Procuradora-geral Adjunta no Supremo Tribunal de Justiça. A Dr.ª Cândida Almeida, antiga directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), que ficou disponível para estes altos voos por não ter tido o mandato renovado pela Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal, deveria ser um case study da convivência sem preconceitos entre a política e a justiça. O facto de ter sido escolhida diz menos sobre ela do que sobre o STJ.

1 comentário:

Luis Moreira disse...

É bem verdade ninguém está surpreendido.