Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/03/2013

Coisas que não surpreendem

A absolvição dos arguidos do processo Cova da Beira, uma das muitas embrulhadas em que José Sócrates apareceu envolvido, apesar de o Ministério Público ter pedido a condenação.

A informação manipulada pela central chavista sobre a evolução da doença de Hugo Chávez, com a conivência dos mídia domésticos, oscilando entre o benevolente e o laudatório, com cada vez mais dificuldades em esconder a evidência da inevitabilidade da sua morte.

O entusiamo militante com que o jornalismo de causas instalado nos mídia domésticos trombeteia o grande êxito da manif “2M“ com o seu «milhão e meio de manifestantes», número que deve incluir os propalados 300 mil do costume no Terreiro do Paço, os quais ficam reduzidos após umas contas elementares a um máximo 50 ou 60 mil, se estiverem todos em contactos do 3.º grau.

1 comentário:

Anónimo disse...

Não sei se tem estado a par dos problemas da Pescanova em Espanha, que com a ajuda do Sócrates investiu em Portugal recebendo largas dezenas de milhões a fundo perdido ou benefícios fiscais. Tem por aí uma lista actualizada de empresas apoiadas nos anos de Sócrates ? É que a maioria parece andar nas ruas da amargura.