Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

21/02/2013

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Prova oral

Secção Assault of thoughts

Augusto Santos Silva, o ex-ministro da Defesa e homem de confiança de José Sócrates, agora delegado de propaganda médica a full time, nunca foi uma persona grata aqui no (Im)pertinências, pela sua doutrina socialista montada em cima de uma plataforma mental esquerdista.

Miguel Relvas, o actual ministro adjunto e homem de confiança de Passos Coelho, também nunca foi uma persona grata aqui no (Im)pertinências, por razões que não preciso de explicar por, ao contrário do anterior, o jornalismo de causas se ter encarregado de lhe fazer a ficha com grande zelo. Ficha feita menos por amor à verdade do que por apego ao tacho e ao controlo de uma central de manipulação.

Sinto-me, pois, à vontade para realçar esta posição de Augusto Santos Silva a propósito da baixaria de ontem no ISCTE, onde, à pala das cantigas, Relvas foi impedido de falar e intimidado por um bando de alunos. Valorizo com 4 afonsos a crítica de Santos Silva, sem papas na língua, das «manifestações supostamente espontâneas», contrastando com os idiotas que se alegram com as cantigas.

Sem comentários: