Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/09/2012

Mitos (84) – Take Another Plane ou Take Another Plan?

Segundo a mitologia oficial, a TAP era uma companhia valiosíssima, cobiçada por todo o mundo. Será valiosa pelo menos para a corporação dos seus pilotos, em particular, e do seu pessoal em geral. E também para os sujeitos passivos que têm financiado os 358 milhões de prejuízos acumulados (77 milhões só em 2011) e o passivo de 2,3 mil milhões, 1,17 vezes o valor do activo.

Como sempre, a realidade com as suas inevitabilidades que desesperam os grandes pensadores do regime, impõe-se aos mitos. Até ver há um único candidato elegível para comprar a TAP: Gérman Efromovich, dono da Avianca, uma companhia colombiana que já teve narcotraficantes como accionistas, um empresário com muito passado, algum presente e ninguém sabe se com futuro.

Sem comentários: