Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/09/2012

Lost in translation (157) - Vender ilusões, vendo, mas sempre diferentes, quis ele dizer

Em Novembro do ano passado, António José Seguro disse «pelas contas do PS, há uma folga muito importante suficiente para cobrir quase na totalidade um dos subsídios de férias ou de natal, incluindo também os pensionistas

Em Março deste ano a folga parece ter-se evaporado e o homem já estava surpreendido pela «subida da despesa». A partir daí começa a queixar-se da derrapagem do orçamento.

Em Setembro, esquecida  a folga, diz que vota contra orçamento mas respeitará o compromisso com a troika. Mas também diz que «É preciso adaptar o memorando à realidade».

Depois do susto de lhe poder cair o poder no colo, termina o mês com «os próximos tempos serão de dificuldades» e «eu não vendo ilusões».

Sem comentários: