Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/09/2012

ESTADO DE SÍTIO: Colocando «o Terreiro do Paço a abarrotar» em perspectiva

Dando por boa a média das estimativas surpreendentemente mais realistas que o Expresso pela primeira vez fez da capacidade do Terreiro do Paço, e supondo que «abarrotava» com os espontâneos que vieram em excursões de autocarro, a manif da CGTP teria tido umas 90 mil pessoas, provavelmente menos. Isso significa que, com ajuda unânime do jornalismo de causas, dos indignados, com centenas de autocarros espontâneos, a CGTP terá conseguido mobilizar 1 em cada 100 dos eleitores inscritos, 1,6 em cada 100 votantes nas últimas eleições, 3 em cada 100 eleitores da oposição ou 11 em cada 100 dos seus próprios eleitores.

É pouco? É muito? Depende. Durante o PREC, estimo que um número semelhante de activistas da esquerdalhada que se dividiam de manif em manif conseguiram manter o país em estado de excitação permanente durante o chamado verão quente de 1975, com os resultados conhecidos.

Sem comentários: