Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/05/2012

A defesa dos centros de decisão nacional (9) - a procissão já saiu do adro mas ainda há muitos penitentes com promessas por pagar

[Continuação de (1), (2), (3), (4), (5), (6), (7) e (8)]

Não é paradoxal que o BES, um banco do regime, defensor dos centros de decisão nacional, e a Caixa, o banco por excelência do regime, cuja natureza pública é justificada pela necessidade de manter nas mãos do Estado um instrumento estratégico para prosseguir o interesse nacional (esta poderia ser dita pelo Tozé Seguro), estejam a tentar vender à Kento Holding da família Eduardo dos Santos as suas participações na Zon a qual, por coincidência, acabou de comprar a posição da Telefónica na Zon?

Sem comentários: