Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/05/2012

Mitos (73) – as teorias da conspiração sobre as agências de rating (IX)

[Continuação de (I), (II), (III), (IV), (V), (VI), (VII) e (VIII)]

Segundo as teorias da conspiração em vigor no que respeita às notações das agências, deveríamos estar à beira do incumprimento da dívida pública, da saída do euro ou de qualquer outra coisa catastrófica nas finanças públicas. E porquê perguntareis?

E eu respondo. Ora, porque «a Moody's disse hoje que a execução orçamental apresentada pelo Governo na semana passada é um bom ponto de partida para a quarta avaliação da troika, classificando-a como "positiva". »

E se a Moody disse tal coisa só pode ser para continuar a desgraçar-nos. Ou não?

Sem comentários: